BIOMIN Anuncia Participação em Projeto de €16M para Qualidade, Segurança e Inovação da Alimentação e do Alimento (FFoQSI)

Da esquerda para a direita: Professor Martin Wagner (Universidade de Medicina Veterinária, Viena) e Dr. Gerd Schatzmayr (Diretor de Pesquisa no Centro de Pesquisa da BIOMIN, Áustria) Fonte: BIOMIN O objetivo do projeto de quatro anos e dezesseis milhões de euros é tornar a produção de alimentos melhor, mais segura e mais sustentável e levar mais inovação através de pesquisa básica e aplicada.

“O FFoQSI criará uma marca única de integração da cadeia alimentar na Europa para os países – particularmente onde cadeias de suprimentos pequenas e médias são essenciais”, declarou o coordenador do projeto FFOQSI, Professor Martin Wagner da Universidade de Medicina Veterinária em Viena.

Tecnologia revolucionária

O esforço agrega 12 projetos que abordam questões específicas relacionadas à produção de alimentos de origem vegetal e animal, entrelaçado com uma plataforma de inovação abrangente que agrupa tecnologias de ponta para uso na garantia de qualidade pré-colheita ou pós-colheita.

“Novas tecnologias como a próxima geração de sequenciamento e análises físico-químicas avançadas revolucionarão os campos de biologia molecular e tecnologia sensitiva em um futuro muito próximo. Essas tecnologias podem ser usadas em ciência vegetal e em ciência animal, mas também em ciência dos alimentos e do consumo”, explicou o professor Wagner.

Pesquisa Líder

“A BIOMIN tem sido a mais forte apoiadora baseada em uma empresa do FFoQSI desde o momento em que a ideia foi gerada”, comentou o professor Wagner.

“Como um jogador-chave no desenvolvimento de soluções inovadoras para as indústrias de alimentação e alimentos, vemos uma razão clara para o emprego de nossa extensa capacidade de pesquisa e desenvolvimento aqui", observou o Dr. Gerd Schatzmayr, Diretor de Pesquisa do Centro de Pesquisa da BIOMIN. “Ela nos oferece uma oportunidade de desenvolver ainda mais as nossas parcerias de longo prazo de P&D com instituições líderes na Áustria e no resto domundo”.

Especificamente, a BIOMIN participará em 3 projetos distintos, relacionados à detecção de micotoxinas, aditivos fitogênicos e resistência a antibióticos emanimais de produção.

Micotoxinas

O primeiro projeto, conduzido em cooperação com o Centro de Química Analítica da Universidade de Recursos Naturais e Ciências Biológicas, em Viena (BOKU), tem como objetivo melhorar a detecção de micotoxinas e outros contaminantes nas culturas e baseia-se na tecnologia de cromatografia líquida – conjunto com espectrometria de massa (LC-MS / MS) de última geração.

“Métodos sofisticados de detecção de multi-micotoxinas, como o Spectrum 380®, permitem a identificação de mais de 400 micotoxinas e metabólitos de uma só vez”, explicou o Dr. Schatzmayr. “Isso realmente abriu a porta para a compreensão de potenciais ameaças emergentes para animais e seres humanos. Esperamos ampliar o escopo para poder detectar centenas de toxinas adicionais “.

Fitogênicos

O segundo projeto explora ainda os efeitos do Digestarom®, um aditivo alimentar fitogenético (PFA), sobre a saúde intestinal dos suínos, em cooperação com o Instituto de Nutrição Animal, Produtos Pecuários e Fisiologia Nutricional da Universidade de Recursos Naturais e Ciências da Vida da Universidade de Viena (BOKU).

“A pesquisa já revelou propriedades anti-inflamatórias e protetoras do intestino de substâncias derivadas de plantas que melhoram o desempenho do intestino”, afirmou o Dr. Schatzmayr. “Nosso objetivo é continuar a elaborar o modo de ação dos PFAs”.

Resistência Antimicrobiana

O terceiro projeto aborda a resistência aos antibióticos nos animais de produção. Ele examinará mais de perto o resistome - o conjunto completo de genes de resistência a antibióticos - de aves e suínos e como ele é afetado por aditivos alimentares.

“Há vários anos que estamos conduzindo pesquisas sobre o modo de ação da resistência aos antibióticos usando ferramentas avançadas, como sequenciamento de genes de alto rendimento e bioinformática”, detalhou o Dr. Schatzmayr. “Até agora, os resultados mostraram que a substituição de antibióticos na alimentação por aplicação de novos aditivos alimentares pode reduzir a presença de genes de resistência a antibióticos. Nosso objetivo é obter mais informações sobre as implicações mais próximas ao nível de campo “.

Sobre o FFoSQI

A Agência Austríaca de Promoção da Pesquisa (FFG) aprovou o Centro de Competência Austríaco para a Qualidade, Segurança e Inovação da Alimentação e do Alimento (FFoQSI) para funcionar de 2017 a 2020 como uma iniciativa de programa de Centros de Competência para Tecnologias Excelentes (COMET). Ela envolve 12 projetos com participação de 6 parceiros científicos e 34 parceiros empresariais representando 5 países.

O compromisso dos parceiros da empresa inclui o financiamento de um centro de excelência em pesquisa em cadeia agroalimentar. O Centro K1 é sediado em Tulln, na Áustria, e tem localizações satélite na Universidade de Recursos Naturais e Ciências Biológicas, Viena (BOKU), na Universidade de Medicina Veterinária, Viena (Vetmeduni Viena) e na Universidade de Ciências Aplicadas da Alta Áustria.