O Relatório de Levantamento de Micotoxina BIOMIN Revela Elevados e Variados Riscos de Micotoxinas Até setembro de 2017

BIOMIN Mycotoxin SurveyPrincipais tendências

  • Nível elevado de micotoxinas detectado na primeira metade de 2017 persistem em muitas regiões do mundo.
  • Enquanto o milho e seus derivados são comumente contaminados por micotoxinas, outros ingredientes alimentares como a soja parecem ter um maior risco de contaminação.
  • Co-contaminação de amostras por múltiplas micotoxinas é bastante frequente. Um total de 75% das amostras testadas para múltiplas micotoxinas apresentaram 2 ou mais micotoxinas.

Visão geral

"O aumento nos níveis de contaminação de micotoxinas registrado no primeiro semestre de 2017 em relação a 2016 continuou até setembro", observou o Dr. Timothy Jenkins, gerente de produtos de gerenciamento de risco de micotoxinas da BIOMIN.

Além de detalhar os níveis de ocorrência de micotoxinas, o relatório do Levantamento de Micotoxinas BIOMIN publicado mais recentemente contém cálculos do nível de risco total por região. O nível de risco total expressa a porcentagem de amostras com pelo menos uma micotoxina acima do seu nível limite – o valor de partes por bilhão em que uma micotoxina particular pode prejudicar a saúde ou o desempenho de animais de fazenda.

"O nível de risco total indica a possibilidade de encontrar um problema relacionado com micotoxinas em ingredientes usados na alimentação de animais provenientes de uma determinada região", explicou o Dr. Jenkins. "A natureza global do comércio de mercadorias e os fatores locais que contribuem para a contaminação por micotoxinas tornam útil para cada operação testar ingredientes alimentares como parte de um programa regular de detecção de micotoxinas".

Milho das Américas

"Existe um alto risco constante de micotoxinas deoxinivalenol (DON), zearalenona (ZEN) e fumonisinas (FUMs) na América do Norte a partir da colheita de milho 2016, e vemos uma trajetória similar na colheita atual", observou o Dr. Jenkins.

Os resultados analíticos de 170 amostras de milho de 2017, nos EUA, revelaram que 80% das amostras continham deoxinivalenol, 48% continham zearalenona e 58% continham fumonisinas acima do limite de risco recomendado.

"Esses números estão intimamente relacionados às condições úmidas durante a sedimentação e, no caso das fumonisinas, algumas temperaturas mais elevadas atingindo a colheita", explicou o Dr. Jenkins.

"O risco no milho sul-americano parece ser mais elevado até agora em 2017 em relação a 2016 em todas as três principais micotoxinas de milho: desoxinivalenol, zearalenona e fumonisinas", observou o Dr. Jenkins.

Os resultados analíticos de 3012 amostras de milho sul-americano revelaram que 79% das amostras continham deoxinivalenol, 25% continham zearalenona e 80% continham fumonisinas acima do limite de risco recomendado.

Soja sul-americana

"A soja geralmente está com menor risco de micotoxina do que muitas outras plantações, mas o risco de desoxinivalenol em muitas amostras brasileiras de soja e zearalenona em amostras Argentinas mostra um risco elevado nos últimos dois anos", observou o Dr. Jenkins.

Os resultados analíticos de 842 amostras de soja de 2017 do Brasil revelaram que 94% das amostras continham deoxinivalenol acima do limite de risco recomendado. 61% das 484 amostras de soja de 2017 da Argentina continham zearalenona acima do limite de risco recomendado.

O clima úmido no início da colheita em algumas partes da América do Sul contribuiu para outro ano de maior risco na soja em algumas regiões sul-americanas.

Presença de micotoxina múltipla

Consistente com os resultados observados no primeiro semestre de 2017, 75% das amostras analisadas continham duas ou mais micotoxinas - apresentando riscos adicionais aos animais de fazenda. Certas combinações de micotoxinas são conhecidas por efeitos sinérgicos que agravam suas consequências negativas.

"A contaminação por micotoxinas múltiplas de baixo nível leva a uma menor eficiência alimentar e baixas taxas de crescimento em muitas espécies animais", observou o Dr. Jenkins. "Os efeitos sinérgicos e os sintomas subclínicos das micotoxinas podem ter um impacto econômico maior para a indústria do que a micotoxicose grave", concluiu.

Dicas e soluções para proteger os animais

O Dr. Jenkins ofereceu várias dicas sobre mitigação do risco associado às micotoxinas. "Primeiro, teste seus ingredientes do alimento. Em segundo lugar, evite alimento contaminado quando possível. Em terceiro lugar, preste atenção nas condições de armazenamento do alimento", sugeriu.

"Mesmo os esforços de prevenção mais intensos não podem impedir a contaminação por micotoxinas de alimentos para animais. Em face de múltiplas micotoxinas na alimentação, a solução mais confiável, segura e eficaz é empregar estratégias comprovadas de toxinas no trato intestinal de animais ", aconselhou.

Sobre o levantamento

O levantamento anual de micotoxinas BIOMIN constitui o levantamento mais longo e abrangente de seu tipo. Os resultados da pesquisa fornecem informações sobre a incidência das seis principais micotoxinas nas mercadorias agrícolas utilizadas para alimentação animal, a fim de identificar o risco potencial para a produção animal.

O relatório completo encontra-se aqui.