Vá para o conteúdo
Voltar para ínicio
Sign of ascites in chickens: Opened abdominal cavity of an ascitic broiler chicken showing the abundance of ascitic fluid

Ascite em frangos de corte | Barriga d’água

Em frangos de corte a ascite é a principal causa de mortalidade e condenação de carcaças inteiras.

Em frangos de corte, a ascite, comumente chamada de barriga d’água, representa um conjunto de alterações fisiológicas e metabólicas que levam ao acúmulo excessivo de líquido na cavidade abdominal. Essas alterações são uma resposta a diversos fatores dietéticos, ambientais e genéticos.

Definição

O termo “ascite” se refere ao acúmulo de líquido na cavidade abdominal: a chamada “barriga d’água". Cientificamente, a doença é mais conhecida como síndrome da hipertensão pulmonar. A ascite é mais comumente diagnosticada na quarta ou quinta semana de idade. A mortalidade total por ascite é mais alta nas linhas macho, que crescem mais rápido e apresentam uma maior deposição muscular em comparação às linhas fêmeas (Dewil et al., 1996).

Patologia

A patologia está associada a uma pressão arterial anormalmente alta entre o coração e os pulmões (hipertensão pulmonar) que leva à insuficiência cardíaca, aumento da pressão venosa e acúmulo excessivo de líquido no fígado com subsequente extravasamento para a cavidade abdominal (Maxwell, 1990).

Sintomas característicos de ascite em frangos de corte

  • Desenvolvimento deficiente das aves;
  • Abdômen dilatado ("barriga d’água");
  • Dispneia (respiração ofegante e ruidosa, mesmo na ausência de estresse aparente por calor);
  • Possível cianose (coloração azulada da pele, especialmente ao redor da crista e barbelas e no tecido muscular - Figura 1).
Abdômen dilatado, “barriga d’água” também conhecido como ascite em frangos de corte
Figura 1. Abdômen dilatado, ou “barriga d’água”, causado por ascite em frangos de corte

Etiologia

A etiologia da ascite é muito controversa. Acredita-se que a genética seja responsável pela ocorrência de ascite em frangos de corte. No entanto, as empresas de genética melhoraram a herdabilidade à resistência à ascite em suas linhagens comerciais.

A ascite é causada por um conjunto de fatores: 

  • Ambientais: temperatura ambiente, altas altitudes, densidade populacional e qualidade do ar
  • Nutricionais: densidade da dieta, tipo de alimentação
  • Higiene: ração, meio ambiente;
  • Eventos genéticos 

Fungos

Outro agente patogênico é o fungo Aspergillus fumigatus, ocasionalmente presente nos ambientes de produção avícola. A doença causada por este fungo, conhecida como "pneumonia micótica”, forma colônias de fungos nos pulmões e produz áreas nodulares rígidas que levam à infecção dos sacos aéreos e posteriormente ao desenvolvimento de ascite.

Endotoxinas

Uma proporção importante da síndrome de ascite em frangos de corte é causada por microrganismos. A maioria das bactérias GRAM negativas (E. coli, Salmonella spp., Campylobacter) são consideradas patogênicas devido à sua camada externa de lipopolissacarídeos (LPS). 

Alguns estudos demonstraram que os LPS promovem a vasoconstrição pulmonar (hipertensão pulmonar) causando ascite em frangos de corte (Chapman et al., 2005). Os LPS presentes no ar dos ambientes de frangos de corte estão relacionados com a quantidade de poeira orgânica presente nos aviários (Zucker et al., 2000).

Por exemplo, a exposição respiratória à bactéria E. coli pode aumentar em cinco vezes a incidência de ascite em frangos de corte. Sabe-se que a bactéria Salmonella Typhimurium pode causar uma taxa de mortalidade de até 79% em pintinhos durante a primeira semana de vida. No entanto, alguns estudos reportaram lesões por salmonelose em frangos de corte de 4 a 6 semanas de idade com infecção concomitante por E. coli que resultou em ascite (Ganapathy et al., 2000).

Tratamento e prevenção

Em primeiro lugar, é importante entender as causas subentendidas da ocorrência de ascite em uma granja de frangos de corte. No caso da ascite causada pela genética, a restrição alimentar pode reduzir o efeito da doença. As aves de crescimento mais lento têm uma menor necessidade de oxigênio o que permite que o sistema cardiopulmonar (coração e pulmões) acompanhe a demanda de oxigênio.

No entanto, a redução do consumo de ração reduz o desempenho de crescimento em frangos de corte. A restrição alimentar só promove benefícios econômicos quando a incidência de ascite é muito grave.

No caso da ascite causada por microrganismos, estudos recentes investigando o efeito da suplementação de rações com acidificantes têm mostrado resultados promissores. Vale lembrar que as boas práticas de manejo também são fundamentais para reduzir o problema da ascite e para maximizar o desempenho de frangos de corte.

Estudos recentes demonstraram uma melhora do índice de crescimento e redução das taxas de mortalidade, assim como benefícios na atenuação nos casos da ascite em frangos de corte quando se utilizou Biotronic® SE, o acidificante da BIOMIN.

The effect of the acidifier Biotronic® SE on ascites incidence on a commercial broiler farm (Bolivia)

Delineamento experimental

Foram utilizados 900 pintinhos machos Cobb 500 com um dia de idade divididos em três grupos. As aves foram alimentadas com uma dieta à base de milho e farelo de soja. A dieta do grupo “Controle Negativo” não continha aditivos nutricionais, enquanto a do grupo “Controle Positivo” foi suplementada com um antibiótico promotor de crescimento (APC) e o grupo tratado recebeu uma dieta contendo o acidificante Biotronic® SE (BIOMIN GmbH) em uma taxa de inclusão de 1,5 kg/ton de ração. A duração do experimento foi de 46 dias. O peso das aves foi registrado aos 14, 35, 42 e 46 dias. Diariamente, foram avaliadas a mortalidade e anormalidades (diarreia, depressão, imobilidade) das aves.

Farm management

The trial was conducted on a commercial broiler farm 2600 metres above sea level in Bolivia. The mean external ambient temperature was 18°C, and the humidity was 40%. The birds were vaccinated against Newcastle, Infectious Bronchitis and Infectious Bursal disease.

Ascites incidence

Ascites incidence was characterized by clinical signs (panting, gurgling sounds, cyanotic combs and wattles, excessive abdominal fluid accumulation) and mortality rates. The incidence of ascites in chickens was confirmed by postmortem examination.

Results

For the initial 42 days, the broilers did not show any obvious clinical signs of ascites, even though on Day 35 mortality rates were recorded in the Negative control, Positive control and Biotronic® SE groups as 2.04, 3.09 and 2.39% respectively (Table 1). On Day 42 an outbreak of ascites was observed on the broiler farm with typical ascitic symptoms such as gasping, cyanotic combs and wattles, depression, extended abdomens, and increased mortality rates up to 7.53, 5.26 and 3.81% in the Negative control, Positive control and Biotronic® SE groups respectively. In the Biotronic® SE group, the mortality rate increased 37.27% over the mortality rate prior to the ascites outbreak, compared to 72.90 and 41.25% respectively in the Negative control and Positive control groups.

Effect of Biotronic® SE on body weight and mortality rate in broilers
Table 1. Effect of Biotronic® SE on body weight and mortality rate in broilers

Necropsy of the dead birds revealed the characteristic lesions of ascites. Amber or clear fluid (lymph) was found in the abdominal cavity, hearts were enlarged with fluid in the pericardium (the sac surrounding the heart), livers were swollen and congested and sometimes with fibrin adhered to their surface, and lungs were pale or grayish.

By the end of the week 7 the mortality in the Negative control and Positive control groups reached 15.39% and 7.53% respectively whereas the group fed diets supplemented with Biotronic® SE recorded the lowest mortality rate at 6.76%.

Opened abdominal cavity of an ascitic broiler chicken showing the abundance of ascitic fluid
Figure 2. Opened abdominal cavity of an ascitic broiler chicken showing the abundance of ascitic fluid

Discussion

This trial result demonstrated that diet supplementation with the acidifier Biotronic® SE represents a solution to alleviate the effect of ascites on broiler farms. In this study, ascites could be attributed to a microbial cause, most probably Salmonella sp. or E. coli and some other co-infection agents.

The genetic cause of ascites herein might be excluded, since the growth of the broilers was much lower compared with the standard growth performance of Cobb 500. Due to poor hygienic conditions on the farm, conditions for the proliferation of pathogenic microorganisms in the environment and feed were favourable.

Além disso, alguns fatores predisponentes como a alta atitude e a ventilação insuficiente estavam presentes os quais agravaram a síndrome ascítica no lote de frangos de corte. Devido ao seu efeito antimicrobiano Biotronic® SE melhorou a higiene do ambiente e protegeu a ração contra a deterioração microbiana e fúngica.

Além disso, sabe-se que a inclusão de acidificantes na dieta reduz a ocorrência de bactérias patogênicas no trato gastrointestinal, melhorando o estado de saúde dos animais. Isso foi confirmado pela redução das taxas de mortalidade no grupo suplementado com Biotronic® SE em comparação aos grupos Controle Negativo e Controle Positivo (APC). Neste experimento, a adição de Biotronic® SE à ração foi eficaz para atenuar o efeito da ascite causada por fatores microbianos em frangos de corte.

Os produtos da linha Biotronic® estão disponíveis em pó e na forma líquida para aplicação na ração e na água de bebida – são soluções ideais e práticas para a prevenção e controle de surtos de ascite em lotes de frangos de corte.

Conclusion

  • In modern animal production acidifiers have been proven to be an efficient alternative to antibiotics.

  • Dietary acidification contributes to environmental hygiene, with a continued function through either the feed or water into the animals’ gastrointestinal tract.

  • Biotronic® SE has been successful in alleviating the effects of various intestinal diseases, with its action against ascites in broilers the latest application available to producers.

Soluções

Loading

Artigos relacionados