Vá para o conteúdo
Voltar para ínicio
Fungo Aspergillus

Micotoxinas em rações de aves

Descobrindo quais são as micotoxinas que geralmente contaminam a ração das aves e quais são os prejuízos causados pelas micotoxicoses na produção avícola.

A presença de micotoxinas em rações de aves constitui uma ameaça constante à indústria avícola mundial. Vários dos ingredientes usados em rações de aves podem estar contaminados por micotoxinas nocivas que são ingeridas pelas aves e causar diversas consequências graves. 

Alguns fungos produzem micotoxinas no campo, enquanto outros produzem micotoxinas durante o armazenamento dos grãos. 

Os ingredientes mais comuns de rações de aves que podem estar contaminados por micotoxinas incluem:

  • Milho e subprodutos do milho
  • Trigo e subprodutos do trigo
  • Farelo de soja
  • Cevada 
A Pesquisa Mundial de Micotoxinas da Biomin (BIOMIN Global Mycotoxin Survey) fornece atualizações constantes a respeito da presença de micotoxinas em matérias-primas e alimentos terminados com base em milhares de amostras coletadas em todo o mundo.

Efeitos das micotoxinas em aves

As aves de produção apresentam uma sensibilidade heterogênea às micotoxinas, uma vez que diferentes espécies sofrem diferentes efeitos tóxicos. Patos, gansos e perus parecem ser mais sensíveis às micotoxicoses, em comparação aos frangos de corte e codornas. Os frangos de corte jovens são mais sensíveis aos efeitos das micotoxinas. 

Efeitos das micotoxinas em aves
Efeitos das micotoxinas em aves

Diversos fatores aumentam a suscetibilidade das aves às micotoxinas, entre eles: 

  • Aves alojadas em um ambiente inadequado (p. ex., altas temperaturas e alta umidade)
  • Ventilação inadequada
  • Alta densidade populacional
  • Desafios por doenças avícolas como a coccidiose e a enterite necrótica
Suscetibilidade às micotoxinas
Suscetibilidade às micotoxinas
Efeitos aditivos (linha preta pontilhada) e sinérgicos (linha vermelha) em aves
Efeitos aditivos (linha preta pontilhada) e sinérgicos (linha vermelha) em aves

Risco de co-ocorrência

Os efeitos das micotoxinas em aves são muito complexos e variam de acordo com seu mecanismo de toxicidade, afetando diversos órgãos e, em caso de altos níveis de contaminação, podendo até causar a morte das aves. As micotoxinas podem ter efeitos sinérgicos ou aditivos quando estão presentes simultaneamente na ração.

Mesmo quando presentes em baixas concentrações na ração, durante os períodos sensíveis do ciclo de produção ou quando os animais são expostos por períodos prolongados, as micotoxinas podem prejudicar o sistema imunológico levando a condições de imunossupressão. Sabe-se que as aflatoxinas, a ocratoxina, os tricotecenos e as fumonisinas induzem efeitos imunossupressores em frangos de corte, tornando-os mais suscetíveis a doenças (Singh et al., 1990, Ghosh et al., 1991). Além disso, baixos níveis de micotoxinas podem ter um efeito antimicrobiano e afetar o trânsito intestinal (Devegowda e Murthy, 2005).

AFB1 - Aflatoxina B1; FB1 – Fumonisina B1 ; DON – Deoxinivalenol; OTA – Ocratoxina A; ZEN – Zearalenona; FA – Ácido Fusárico; DAS – Diacetoxiscirpenol; CPA – Ácido Ciclopiazônico; MON – Moniliformina

Qualquer micotoxina presente na ração se deposita diretamente no trato gastrointestinal (TGI) das aves, que é o órgão mais afetado. O trato gastrointestinal é o principal órgão responsável pela conversão da ração em energia e seu funcionamento adequado está diretamente relacionado à produtividade das aves. O trato gastrointestinal (TGI) é também o maior órgão imunológico do organismo.

Entre as principais micotoxinas, o DON (deoxinivalenol), a ZEN (zearalenona) e as FUM (fumonisinas) geralmente têm seu impacto na saúde e produtividade das aves negligenciado, pois seus sinais clínicos normalmente não são óbvios ou visíveis. No entanto, diversos experimentos científicos e comerciais demonstram que essas micotoxinas produzidas pelo fungo Fusarium estão estreitamente relacionadas a algumas doenças importantes de aves.

Consequências da contaminação por micotoxinas na saúde intestinal
Figura 4. Consequências da contaminação por micotoxinas na saúde do TGI

Impacto no trato gastrointestinal

Redução da imunidade com níveis baixos de contaminação por micotoxinas

Efeitos de DON e Mycofix® Select sobre a titulação de anticorpos contra IBV em frangos de corte
Figura 5. Efeitos de DON e Mycofix® Select sobre a titulação de anticorpos contra IBV em frangos de corte

As substâncias imunotóxicas, como as micotoxinas, são participantes subdiagnosticadas do fracasso de uma vacina em estimular uma resposta imunológica adequada. 

Sabe-se que a co-ocorrência de DON e FUM modula a função imunológica. Um exemplo interessante é a redução do número de títulos de anticorpos contra os programas vacinais utilizados em aves. Os resultados de diversas pesquisas mostraram que o DON e a FUM reduzem a resposta de anticorpos à Doença de Newcastle (ND) e ao Vírus da Bronquite Infecciosa (IBV). Em um experimento realizado na Áustria, animais alimentados com uma dieta contaminada com DON apresentaram menor titulação sérica de anticorpos contra a vacina de IBV (Figura 4) em comparação aos alimentados com uma dieta controle. 

Em frangos de corte Mycofix® foi capaz de combater os efeitos do deoxinivalenol sobre a titulação de anticorpos contra IBV. 

Efeitos das micotoxinas em pintinhos com uma semana de idade

Os pintinhos com uma semana de idade encontram-se em uma fase crucial e problemas aparentemente sem importância têm o potencial de determinar o futuro da saúde das aves a curto e longo prazo. O desenvolvimento do trato intestinal e um sistema imunológico ativo são fundamentais para que as aves tenham uma vida saudável e podem ser ameaçados pela exposição precoce às micotoxinas. As interferências nessa fase, mesmo que pequenas, podem ter efeitos muito negativos nas fases seguintes. As baixas doses de micotoxinas podem estar combinadas aos fatores de estresse ambiental, mesmo que estes estejam fora do controle do produtor.

Essa combinação pode causar perdas invisíveis, com efeitos subclínicos que incluem:

  • Comprometimento da saúde intestinal
  • Maior suscetibilidade a doenças
  • Baixa resposta imunológica nas fases posteriores
  • Perdas adicionais de desempenho econômico
  • Sinais de infecção

Leia mais sobre o risco de micotoxinas em pintinhos com uma semana de idade

Atenção, produtores! O risco das micotoxinas em pintinhos com uma semana de idade
Comentários de Charles Rangga Tabbu, Universitas Gadjah Mada, Indonésia, durante a sessão especial de avicultura do World Nutrition Forum 2016 em Vancouver, Canadá.

Diagnóstico de micotoxicose em aves

Os sinais clínicos e as lesões patológicas nos principais órgãos afetados podem ser usados como um sistema de alerta precoce (EWS, na sua sigla em inglês) para a contaminação da ração/matérias-primas por micotoxinas.

Pode ser difícil observar diretamente a doença induzida pelas micotoxinas, chamada de micotoxicose. Existem diversos sinais clínicos comuns e lesões patológicas de micotoxicoses em aves .

    Os sinais de ingestão de micotoxinas pelas aves incluem:

    • Outros lotes da granja que consumiram a mesma ração/matérias-primas também são afetados
    • O tratamento com antimicrobianos tem pouco ou nenhum efeito sobre a doença
    • Os surtos no campo são sazonais e estão associados a ingredientes específicos
    • A análise da ração suspeita revela sinais de atividade fúngica (Richard, 2012). 

    Embora os efeitos e os possíveis sintomas das micotoxinas sejam muito complexos, órgãos afetados e lesões patológicas variem muito dependendo da micotoxina envolvida (Naehrer, 2012), o diagnóstico presuntivo pode ter como base os sinais clínicos e lesões patológicas nos órgãos afetados, especialmente quando há evidências da presença de fungos nos ingredientes ou rações. 

    O diagnóstico definitivo deve ter como base o isolamento, a identificação e a quantificação da micotoxina específica (ou micotoxinas específicas) presente nos ingredientes ou no alimento terminado. Deve-se coletar amostras de ração e ingredientes e enviá-las imediatamente ao laboratório para análise. Deve-se coletar múltiplas amostras em diferentes locais na zona de formação de micotoxinas (“hot spots”) (Whitaker et al., 2005, Krska e Schuhmacher, 2012).
     

    Gestão do risco de micotoxinas em aves

    Em relação ao combate das micotoxinas, a indústria avícola tende a considerar o uso dos adsorventes de toxinas ou adsorventes de micotoxinas. (Conheça a verdade a respeito dos adsorventes de micotoxinas). 

    No entanto, os adsorventes à base de argilas minerais não são eficazes para todas as micotoxinas prejudiciais as aves, especialmente contra os tricotecenos uma vez que sua estrutura não é adequada para que sejam adsorvidos. A biotransformação usando microrganismos e enzimas é a estratégia mais eficaz. A biotransformação proporciona uma boa proteção contra as micotoxinas através de sua biodegradação em metabólitos não tóxicos. A biotransformação é rápida, específica e irreversível.

    Além da biotransformação, uma estratégia de bioproteção também é importante. Existem vários aditivos para rações disponíveis que contêm extratos de plantas e de algas com efeito hepatoprotetor e capazes de reduzir a imunossupressão causada pelas micotoxinas. Uma combinação de diferentes estratégias pode neutralizar os efeitos negativos das micotoxinas em aves de maneira mais completa, especialmente nos casos de contaminação por múltiplas micotoxinas com baixa adsorção produzidas pelos fungos do gênero Fusarium em rações de aves.

    Soluções

    Loading