Vá para o conteúdo
Voltar para ínicio
Voltar
  • Pesquisa
  • Micotoxinas
  • Ração
  • Pesquisa
  • Micotoxinas
  • Ração

Resultados da Pesquisa de micotoxinas da BIOMIN no 2º trimestre de 2021

Revisão da ocorrência das principais micotoxinas no primeiro semestre de 2021 (janeiro a junho). No total, 47.611 análises foram conduzidas em 10.075 rações e amostras de matérias-primas originárias de 68 países.

Resultados da Pesquisa de micotoxinas da BIOMIN no 2º trimestre de 2021

Baixe os resultados completos da pesquisa de micotoxinas da BIOMIN para o segundo trimestre de 2021

América do Norte

O risco na América do Norte continua grave. O DON ainda é uma das principais preocupações em todas as commodities. Esteve presente em 69% de todas as amostras (média de positivos 1.044 ppb).

Em grãos de milho, a prevalência de DON é de 72% com uma concentração média de amostras positivas atingindo 1.449 ppb. No entanto, no milho o FUM tem a maior prevalência (73%), com alta concentração média de 2.050 ppb. Uma alta concentração média de 297 ppb também é relatada para ZEN no milho (prevalência de 35%).

Além disso, as amostras de ração acabadas mostram elevada contaminação por micotoxinas com DON presente em 81%, FUM em 66% e ZEN em 32% das amostras. A concentração média de FUM positivos é quase tão alta quanto no milho (2.046 ppb), e níveis mais baixos, mas ainda elevados, de DON (877 ppb) e ZEN (173 ppb) foram encontrados.

América do Norte (EUA e Canadá)

América Central

A América Central corre um risco extremo, pois 77% de todas as amostras tiveram resultado positivo para FUM. Essas amostras positivas continham, em média, 1.049 ppb FUM. A contaminação com FUM é ainda maior em amostras de grãos de milho (abundância 98%, média de positivos 1.671 ppb). Além disso, 86% das amostras de milho continham pelo menos uma micotoxina. A segunda micotoxina mais prevalente foi DON, ocorrendo com frequência em todas as amostras testadas (72%) e particularmente no milho (87%).

América do Sul

O risco nesta região é grave. Asmicotoxinas de Fusarium são as mais prevalentes, com FUM presente em 66% de todas as amostras, seguido por DON (51%) e ZEN (42%). Aflatoxina foi encontrada em 30% das amostras (média de positivos 7 ppb). O risco para o gado é principalmente devido às concentrações de DON e FUM. O milho mostra alta abundância de FUM (83%, média de positivos 1.569 ppb) e DON (50%, média de positivos 529 ppb), e 96% das amostras de milho continham pelo menos uma micotoxina.

América Latina

Europa

O risco na Europa varia de moderado a grave. A micotoxina mais prevalente ainda é DON (53%), seguida por ZEN (50%) e FUM (42%). DON é a principal ameaça para o gado. Ocorreu em diferentes matérias-primas testadas, incluindo 66% das amostras de milho com teste positivo para esta micotoxina com uma média de positivos de 856 ppb. Além do milho, a palha e a silagem de milho são fortemente afetadas pelo DON (prevalência de 51% e 75%, respectivamente). A média das concentrações positivas está na mesma faixa do milho com 820 ppb na palha e 725 ppb na silagem de milho. A Europa Central é a sub-região mais afetada. Nessa região, 89% das amostras de milho foram positivas para DON e apresentaram alta concentração média de 1.076 ppb.

Europa

Ásia-Pacífico

O risco é extremo no Sul da Ásia, China e Taiwan. No Sudeste Asiático e no Leste Asiático, o risco é grave. Em comparação com o mesmo período do ano passado (janeiro a junho de 2020), a abundância de Afla, toxina T-2 e OTA aumentou. Asmicotoxinas Fusarium são mais prevalentes e são o principal risco para o gado. O FUM ocorreu em 90% das amostras de milho, e a média ficou alta com 2.049 ppb. No milho, DON, ZEN e Afla também ameaçam a saúde animal. DON ocorreu em 84% das amostras (média de positivos 1.013 ppb), ZEN em 73% (média de positivos 243 ppb) e Afla em 25% (117 ppb). 95% das amostras de milho continham pelo menos uma micotoxina. Afla mostra concentrações particularmente altas em milho e ração acabada no sul e sudeste da Ásia. No Sul da Ásia, o Afla esteve presente em 95% das amostras de ração acabadas (média de positivos 39 ppb). Além disso, a ocratoxina A era muito abundante nesta sub-região da Ásia.

Na Oceania, o risco de contaminação por micotoxinas é moderado.

Ásia e Oceania

Médio Oriente

O Oriente Médio apresenta risco grave, principalmente devido à alta abundância de toxinas Fusarium.O mais abundante em todas as amostras é FUM (93%), seguido por ZEN (70%), DON (61%) e Afla (27%). O risco para as espécies animais é principalmente devido ao DON e ZEN (média de positivos 744 ppb e 112 ppb, respectivamente). Em comparação com o mesmo período do ano passado (janeiro-junho de 2020), a abundância de Afla, OTA e ZEN aumentou. De todas as amostras testadas no primeiro semestre de 2021, 83% continham mais de uma micotoxina.

Oriente Médio

África

Na África Subsaariana, o risco é grave. Asmicotoxinas de Fusarium são altamente abundantes: DON está presente em 71% das amostras, seguido por FUM (65%) e ZEN (54%). Em comparação com janeiro a junho de 2020, vemos um aumento na abundância de todas as seis micotoxinas principais bem conhecidas. Para a saúde animal, o DON é a maior preocupação com sua alta abundância e concentração média de positivos de 701 ppb. O milho sul-africano mostra abundância e níveis de contaminação particularmente altos com DON no milho (abundância 89%, média de positivos 1.078 ppb).

África

Resultados do Spectrum 380®

Spectrum 380®é o serviço de detecção de micotoxinas mais abrangente disponível. A BIOMIN analisou 307 amostras entre janeiro e junho de 2021 usando este serviço avançado. Devido ao método analítico que é usado (LC MS /MS), este método detecta a ocorrência não apenas de micotoxinas bem conhecidas, mas também de micotoxinas emergentes e outros metabólitos fúngicos que muitas vezes não são considerados na análise regular, mas ainda podem prejudicar a produção animal.

A análise mostra que 34% das amostras continham 60 ou mais metabólitos (por amostra). Os resultados para micotoxinas emergentes mostram que todas as amostras de milho foram positivas para Moniliformin e 92% para Aurofusarina. Na ração terminada, 98% das amostras apresentaram presença de Beauvericina e 95% de Moniliformin. Foram observados efeitos negativos de Moniliformin em aves e roedores, incluindo danos ao músculo cardíaco e ao sistema imunológico, bem como dificuldade respiratória. Além disso, foi relatada diminuição do consumo de ração e ganho de peso. Para Aurofusarina, efeitos negativos em aves também foram observados, variando de alterações metabólicas a uma diminuição no teor de proteína e gordura na carne de frango. Doses altas afetaram o sistema imunológico e diminuíram a fertilidade. A beauvericina mostrou efeitos tóxicos em experimentos de laboratório com linhagens celulares, mas nenhum efeito agudo in vivo. No entanto, os efeitos crônicos ainda precisam ser determinados e um impacto no sistema imunológico foi sugerido.

LC-MS / MS

Obtenha os últimos relatórios, revistas e muito mais

vá para a área de download

Soluções

Loading